Similares e referências

Em design de produtos glíficos, a análise criteriosa dos similares é conhecida como sincronia e permite, segundo Gomes (2004), verificar o produto em seu contexto e relacioná-lo a outros semelhantes existentes no mercado. Segundo Bonsiepe (1984), esta análise é particularmente importante, pois evita reinvenções. Já no contexto digital a interface assume grande importância, pois a experiência dos usuários ocorre quase que totalmente na interação com a mesma. Os modelos interativos variam muito de um produto para o outro. Sites, sistemas ou aplicativos com funcionalidades muito distintas podem apresentar características ergonômicas, estruturais e estéticas que representam boas referências para serem analisadas. Por isso, Meurer e Szabluk (2010) recomendam que a análise não seja só por similaridade, mas estenda-se também para produtos de qualquer área do meio digital, não importando se estão fora do nicho em questão ou se são de plataformas distintas. Segundo os autores, a análise inicia-se com a identificação, apresentação e descrição dos pontos positivos e negativos de um número razoável de produtos (de dez a vinte). A partir da interação com o mesmo, o aluno poderá classificá-lo pela sua usabilidade e qualidade de suas funcionalidades e dizer se é ou não uma boa referência.

Texto extraído da tese de doutorado do professor Heli Meurer intitulada:
FERRAMENTA DE GERENCIAMENTO E RECOMENDAÇÃO COMO RECURSO NA APRENDIZAGEM BASEADA EM
PROJETO EM DESIGN DIGITAL